sábado, 1 de janeiro de 2011

PADRE CORREIA DA CUNHA E O ANO NOVO

.
.
.
.




“Ano Novo, sorrindo na plenitude da estreia!”


Iluminando esperanças, corrigindo velhos sonhos e cheirando as várias dificuldades para 2011, o novo ano começa a experimentar os seus primeiros passos…

Padre Correia da Cunha, que na sua profunda simplicidade, concentrava em si qualidades e particulares de grande personalidade moral e intelectual, em cada início de ano, também sonhava com a sinceridade dos homens; esperava por uma humanidade de solidariedade espiritual que encontrasse num cantinho do seu coração a sabedoria para amar o próximo…

Mas como permanentemente referia: a estupidez humana e a ganância colectiva da humanidade apenas desenvolviam sonhos utópicos de sentimentalismos sem sentido transcendental. O tempo esgota-se pelas nossas vidas sem nos darmos conta. Todos almejamos a liberdade e a felicidade, mas cada vez mais nos deixávamos aprisionar na trama dos nossos próprios desejos egoísticos.

‘’Só a Fé é a luz das nossas almas e a Esperança o pão das nossas vidas. A fé em Jesus Cristo era a única capaz de extravasar por completo as nossas almas…’’, assim referia ele.




Lembro-me que na Paróquia São Vicente de Fora havia, na passagem de ano, uma grande festa comunitária, assim como uma nesga de sonhos nos corações de toda a gente, que participava neste evento. E de olhos presos no horizonte, que surgia, todos nos resignávamos a esperar algo de novo ou a continuação progressiva das nossas mais ardentes aspirações.

As alegrias espalhavam-se nessa noite em manifestações fraternais, renovando os entusiasmos para a nova etapa que se iniciava.

Ano novo! Nas badaladas festivas dos sinos da torre da majestosa igreja de São Vicente de Fora residiam os mágicos poderes dos sonhos e das boas memórias.

Na ânsia de vivermos fraternalmente, saudávamos o ano que nascia com afirmações optimistas, na esperança de concretizarmos os nossos ideais. E nos vivos esplendores da alvorada do novo ano, folgavam restos de sonhos que sobravam e que vinham juntar-se aos novos sonhos nascentes. A noite era de festa e não faltava o baile festivo em plenos claustros: Sala do Conselho da Paróquia.

E como o ano que findava, muitas outras coisas também findavam; muitas esperanças se perdiam e muitas coisas se extinguiam.


Uma coisa permanece e continua a ser uma absoluta verdade: os calendários vão caindo, renovando os dias…

FELIZ ANO NOVO!
.
.
.
.
.

1 comentário:

  1. Anónimo2.1.11

    ‘’São os meninos do meu tempo, de São Vicente de Fora, com o seu saudoso amigo Padre Correia da Cunha! O menino do lado esquerdo é o meu irmão Jaime Augusto Simões, a seguir o Hernâni Anunciação Santos (falecido). O terceiro da esquerda o Conchinha. Do lado direito conheço e tentarei recordar o nome. O segundo da direita sou eu (Rogério Martins Simões), o terceiro o António Melo e Faro (falecido). depois colocarei mais nomes.
    Gostei de me ver com 10 anos" Rogério Martins Simões Esta foto é de ínicios dos anos 60.

    ResponderEliminar