sexta-feira, 13 de julho de 2012

PE. CORREIA DA CUNHA – OBJECTIVO, VENTOS DE MUDANÇA!

.









.




“ PARA A CONSTRUÇÃO DE UM

 MUNDO MELHOR! "






Os finais dos anos sessenta foram tempos de fortes mudanças. Deu-se uma espécie de furacão humano generalizado que trouxe à tona a insatisfação juvenil.

Terminado o Concilio Vaticano II chegava a Portugal a necessidade de se renovar a Igreja, crescentemente dividida numa corrente conservadora e outra reformista.

Muitos católicos e sobretudo a juventude portuguesa estavam desiludidos com o regime vigente e com a hierarquia da Igreja, pelo que aproveitavam para manifestar a sua fidelidade ao papa.  

Era uma época mítica para as transformações, políticas, religiosas e comportamentais que toda a sociedade portuguesa estava a viver de uma forma irreversível.

Foi neste clima que nasceu a 31 de Outubro de 1971, o grupo OBJECTIVO, composto por jovens de ambos os sexos, assistindo-lhes o ideal de bem servir no Amor em Cristo, a Comunidade Paroquial de São Vicente de Fora.





«Em Paz para construir um Mundo Melhor» foi a divisa escolhida para lançarem o convite a todos os jovens da Comunidade Paroquial, como podemos verificar no documento histórico de 14 de Outubro de 1971.

 Ao longo do primeiro ano de existência foram desenvolvidas imensas actividades visando uma maior aproximação e conhecimento humano entre todos os elementos do embrionário grupo.

União na verdade, solidariedade e espírito comunitário eram as condições julgadas essenciais para se encetar um trabalho profícuo de serviço a Jesus Cristo e a todos os irmãos.





Com um líder espiritual de uma nova geração de Padres, o Beneditino Ismael Sanches, professor no Ext. F. Luis de Sousa  e dirigente da JUC, o sacerdote era um reivindicador de maior justiça social e instauração de uma ordem radicalmente nova.

Recordo que os encontros deste grupo de jovens eram diferentes de todos os que aconteciam naquele tempo. A missa especial para jovens aos domingos ao meio-dia, originou uma espécie de resistência entre muitos dos frequentadores mais conservadores da paróquia, ao escutarem as músicas de violas com melodias e ritmos da época. As homilias eram autênticos clamores por liberdade e libertação. A Igreja era a gesta libertadora de Jesus Cristo vivo, cujo sonho era um Reino de Justiça, Amor, Perdão e Paz.  

O Padre Correia da Cunha dava conta que se estava a instalar uma crise na Igreja e ventos de mudança na sociedade portuguesa. Crescentes manifestações de leigos, contestação em matérias litúrgicas, quebra de entusiasmo pastoral e apostólico e o aparecimento de uma juventude comprometida na busca de uma Igreja mais humana e com novas formas de convivência.

Pressenti, que o Padre Correia da Cunha apercebendo-se dos novos rumos, queria dar a sua vida de padre, ser um irmão mais velho, ajudando os jovens a viverem estes tempos na experiencia da fé e do amor no encontro com Cristo. Creio que até tinha algum fascínio em perceber estas mudanças que estavam ocorrer na pastoral da juventude da sua paróquia, enfrentando com toda a serenidade e simplicidade esta “tempestade” pois era um homem de fé, mas reconhecia os seus defeitos. Nunca poderia abdicar de defender os direitos da pessoa humana, o culto da pátria, a justiça social e a promoção dos mais desfavorecidos…como referia: “a mudança tem de ser feitas com todos, os que andam mais de pressa e os que andam mais devagar.”





Continua em mim um grande desejo, que todos os jovens do Grupo OBJECTIVO de São Vicente de Fora: Pe. Ismael Sanches, Rui Aço, Carlos Pereira, Zélia Nunes, Mila, Maria de Jesus, José Luis Coelho, Luísa Beato, Angelina Manata, Cristina Barradas, Alcides Rodrigues, Carlos Gordett, Amadeu Bico, Alice, Isidro Marques, Dulce, Manuel José, Neves, João Alberto Martins  … partilhem as suas experiencias vividas neste grupo de jovens como construtores de um Mundo JUSTO, FRATERNO E HUMANO.

Já passaram mais de quarenta anos sobre a fundação do OBJECTIVO, mas as referencias mantem-se bem vivas nos corações dos seus elementos. Hoje todos vivemos realidades diferentes, mas os valores ali apreendidos continuam a ser apoio para o nosso compromisso e empenhamento na busca de uma sociedade que se requer com mais Justiça e respeito pela dignidade humana.

Agradeço ao Manuel José e José Luis Coelho as fotos que ilustram este post tiradas em Encontros realizados na Serra da Estrela, Convento de Cristo Tomar, Seminário de Almada.

Temos a herança e responsabilidade de com alegria e esperança manter o sonho, pelo que  penso sinceramente que devíamos dar vida à sugestão do grande Rui Aço: Realização do I Encontro dos Jovens do Grupo OBJECTIVO e familias, no dia 23 de Setembro próximo, proposta de jornada:

PROGRAMA
10.00 Horas – Missa por alma de Padre José Correia da Cunha (1917-1977) (ANIVERSÁRIO), Natália Oliveira Sales (1951-2011) e Ala dos amigos de PCC.

11,30 Horas – Visita guiada ao Mosteiro de São Vicente de Fora

12, 30 Horas – Almoço de Confraternização no Mosteiro de São Vicente de Fora

16.00 Horas – Romagem ao mausoléu dos seus restos mortais, no Cemitério do Alto de São João. (Rua 57ª – 36831)

19.00 Horas – Concerto de Órgão em São Vicente de Fora



Aguardo os vossos comentários e sugestões!





.




.

2 comentários:

  1. Ventos de mudança e ventos de esperança.Creio que ainda hoje, passados que são 40 anos vividos por cada um de nós no subir e descer da vida,continuamos a ter a esperança e a ser o fermento para a construção de um mundo melhor.Acredito que cada um de nós continua a ter "este" OBJECTIVO na mente e no coração.Um abraço do tamanho do mundo.Vão pensando que chegou a hora e o momento de nos voltar-mos a encontrar! Rui Aço

    ResponderEliminar
  2. Julgo poder noticiar que efectivamente não se realizará o encontro dos antigos membros do Grupo de Jovens OBJECTIVO, no próximo dia 23 de Setembro, por falta de anuência à sugestão lançada neste blogue.
    Mas a ideia da celebração desse encontro lançada pelo Rui Aço deverá manter-se viva. Creio que será possível promover esse encontro pelo que deveremos todos, lançar ideias sobre datas e local para a sua realização. Nos espaços de São Vicente de Fora na minha opinião seria o ideal e estou certo que o reitor e o pároco de São Vicente de Fora acolheriam com agrado esta magnificente solenidade.

    ResponderEliminar